Posts Tagged ‘mcdonald’s’

fourteen

September 11, 2010

Foi meio que uma daquelas pausas.

Queria ter ido no Burger King hoje, errei a porcaria do shopping e tive que ficar com o velho McDonald’s. Ainda gosto dele, mas é como se eu tivesse traído alguém. Não a mulher dos meus sonhos, mas a fast-food chain dos meus sonhos. Não que seja realmente a dos meus sonhos, mas adicionar um ‘que tem filiais no Brasil’ é ser específico demais. Enfim.

Tava só de passagem, na verdade, e como não sou motorista ainda… Aliás, sei que sou motorista nato, então foda-se. Como não tenho carteira ainda, não rola de levar pra viagem. E quando se está sozinho, tudo o que tem pra fazer além de encarar pessoas enquanto comem, e claro, da explosão de sabores na sua boca, é se entreter com o papel da bandeja.

É bem trabalhoso, na verdade. Só pra começar, é melhor já deixar o refrigerante de fora da bandeja. Aí ficam as batatinhas que tentaram fugir da morte certa no caminho, formando uma aliança com a caixa do lanche (ou caixas), os guardanapos, e dependendo do quão estabanado você é pra comer, fragmentos de lanche. Tirados os obstáculos, geralmente é algo que serve pra perder uns cinco minutos lendo. A da vez era um dos tipos de amigos/que tipo de amigo você é. Sei que não é nenhum tipo de artigo científico de psicologia (supondo que boa parte dela não seja uma grande pilha de merda), mas mesmo assim, existem pessoas que são só um dos tipos que estão retratados ali. Mesmo aplicando Shrek e a teoria das cebolas/várias camadas.

Você se orgulha de ser fútil? Superficial? Meus parabéns, você é um babaca. Ou uma babaca. É gênero, número e grau me dando trabalho hoje pra escrever alguma coisa aqui. Gimme a fucking break.
Vale também pra convivência com alguém assim, além do que se deve respeito à educação.

Limitei a três pra não ficar muito zoado e escolhi uns pra mim.
O alienígena, o malemole e algum outro aí. Quem conhece, sabe. Parecem nomes de cartas de tarô.

Moral da história? Grow the fuck up. Ou a versão mais divertida da mesma lição: “Nut up or shut up.”

Caí no dilema do gênero, número e grau outra vez. Oh shit.